Anuncie aqui!

Haggard

14 janeiro 2010
Felipe

http://stmetal.files.wordpress.com/2009/04/haggard-wallpaper-2.jpg

Texto de Whiplash

As aventuras do metal com a música clássica já são antigas. Ritchie Blackmore, Yngwie J. Malmsteen, posteriormente Therion e incontáveis conjuntos, lutaram bravamente para mostrar que a união dos dois estilos era possível e, mais do que isso, salutar. O “neo-clássico”, porém, passou a ser considerado maçante e repetitivo, e perdeu boa parte de sua base de fãs com o passar dos anos.

Quando o Haggard surgiu em 1994 com o EP “Progressive” indicando o reencontro das duas, aparentemente, distintas vertentes, muitos torceram o nariz, pensando se tratar de mais do mesmo. Porém, o que propunha a banda de então dezenove membros, liderada por Asis Nasseri, ia bem além do que fora visto e escutado até então. Com as composições já prontas a expectativa era de levar o barroco de Monteverdi e Corelli às guitarras distorcidas de Tony Iommi, e o classicismo vienense de Mozart e Haydn aos vocais extremos de Chuck Schuldiner e Cronos.

O reconhecimento veio aos poucos, e o grupo se consagrou de fato com “Awakening The Centuries” (2000), listado em quase todo o mundo como um dos melhores álbuns do ano de seu lançamento.

Quatro anos depois e com dezessete integrantes - incluindo Michael Schumm (tímpanos / tambores), Mark Pendry (clarinete), Fiffi Fuhrmann (tenor / krumhorn), Gaby Koss (soprano), Veronika Kramheller (soprano), Kathrin Herts (violoncelo), Hans Wolf (piano / órgão / címbalo), Andreas Peschke (tenor / flauta), Judith Marschali (violino), etc – Nasseri realiza o sonho de contar a história de Galileo Galilei em “Eppur Si Muove” (2004), lançado pela Hellion Records no Brasil.

O que podemos ouvir são todos os movimentos de uma sinfonia desempenhados por uma orquestra completa e competente, que alcança os objetivos do início de carreira do Haggard, no aliança de barroco, clássico, e metal.

A versão nacional conta ainda com um DVD bônus, privilégio de poucos povos, dentre os quais italianos, alemães e brasileiros, com o vídeo clipe de “In A Pale Moon’s Shadow”, e a apresentação da banda inteira no histórico Wacken Open Air 1998 para um público simplesmente embasbacado com o sonho gigantesco que se transformou em realidade.

Álbuns:
Progressive (1994)
And Thou Shalt Trust… the Seer (1997)
Awaking the Centuries (2000)
Eppur Si Muove (2004)
Tales of Ithiria (2008)

0 comentários:

Postar um comentário

DESCRIÇÃO-AQUI.